FOLHA DE PARINTINS Jornalismo Livre, Presente e Atuante

tablado
19/11/2018 às 19:20 h

George Japa lança música gravada em estúdio de Fortaleza


Sonhador. Assim se define o cantor e compositor George Paulo Ribeiro Silva, aos 31 anos, conhecido pelo nome artístico de George Japa, que trabalha em carreira solo e lança uma nova música, de autoria própria, “Tá Bom Solteira”. George gravou a obra inédita em Fortaleza, Ceará, no estúdio Arena Produção Artística e Editoração, com a produção musical de Brunno Souza. O estúdio já gravou `hits` de artistas renomados como Wesley Safadão, Léo Santana, Xande Avião, Solange Almeida.
 
Japa conta que as maiores bandas de forró e de sertanejo estão no Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. “Sempre tive um sonho de querer crescer e trabalhar com minhas conquistas. Quando fiz essa música, logo pensei em gravar em Fortaleza. É difícil, é, mas não é impossível. Fomos atrás para concretizar o projeto e deu certo. A inspiração, para gravar em Fortaleza, é a referência desses ‘caras grandes’ que um dia já foram ‘pequenos’”, revela.
 
Focado, George sempre almejou se envolver no meio de artistas consagrados, assim como outros nomes da música tiveram oportunidade, para consolidar a carreira nacionalmente. O artista é o filho mais velho do músico parintinense Zezinho Silva e esse ano já experimenta o gostinho do sucesso de “Rabança”, gravada com a participação especial do funkeiro, Jerry Smith, com mais um milhão de visualizações no YouTube, além da execução nas plataformas digitais.
 
George investiu na carreira solo este ano, após deixar de ser vocalista da Banda Forró Ideal. Recentemente, participou pela terceira vez do Programa Raul Gil, no SBT, em São Paulo, onde cantou “Rabança”, que começa a ‘estourar’ no Brasil. Viver da música faz o artista se reinventar a cada composição nova, quando se inspira para músicas que o povo quer consumir. As ideias para as composições de ‘hits’, segundo ele, surgem ao sentir o ‘gosto do público’ nos palcos, em shows.
 
George viu a carreira ‘decolar’ nos últimos anos, ao se mudar de Parintins para ‘tocar’ a vida na carreira, em Manaus. Na Banda Forró Ideal, conquistou maior projeção, pelo talento como cantor e compositor. “Vai ter que pagar”, “Ela bebeu demais” e “Rabança”, são as músicas que deram certo na carreira de Japa, todas composições de autoria própria. O cantor e compositor é fã de carteirinha do Grupo Mamonas Assassinas, que o influenciou a seguir carreira musical, ainda na infância.
 
George considera o DVD da Banda Invasão, da qual era líder, gravado no Bumbódromo lotado, e as participações no Programa Raul Gil, como momentos inesquecíveis.  “Agora, em 2018, foi mais marcante ainda, devido uma música de minha autoria, “Rabança”, ‘tá’ em ascensão nacional. Essa última também é muito marcante, por conta da minha carreira solo e do reconhecimento popular do meu trabalho, da minha música, tanto pela plateia, quanto pela produção do programa”, avalia.

 
Com o dom da música no sangue, Japa quer trilhar o caminho do sucesso nacional para representar o nome de Parintins, do Amazonas e da Região Norte no mercado fonográfico. O músico diz que também grava músicas de parceiros como o compositor das ‘multidões’, Luciano Kikão, do MC Picolé, do Klinger Cormacol, do Jr CD de Manaus, do Big Big de Fortaleza. A meta de George, em 2019, é fazer turnê no Nordeste e Sudeste, nos maiores centros musicais do Brasil, além participação em mais programas de TV.

Nas melhoras baladas