FOLHA DE PARINTINS Jornalismo Livre, Presente e Atuante

tablado
13/12/2018 às 19:56 h

Parintins recebe A Força do Hip-Hop Feminino do Norte


"Pela visibilidade e equidade de gênero na cultura Hip-Hop". Essa é a pauta que a produtora cultural e feminista, Mc Cida Aripória, traz em sua fala nas rodas de debates, encontros e principalmente em suas composições poéticas de rap e nas ações de enfrentamento.

As mulheres cada vez mais estão ocupando os espaços de poder, que de fato desde sempre foram delas. Na cultura hip-hop não seria diferente. Por sua vez, predominantemente masculina, e com machismo extremamente presente que, por anos, tentou invisibiliza-las. Porém, a luta e força dessas mulheres se torna mais evidente quando coletivos, crews e grupos de rap surgem organizadamente e passam a fazer suas próprias ações e ocupar os 4 elementos do hip-hop quanto protagonistas e, por mérito próprio, serem vistas como parte importante e que devem ser respeitadas dentro desses elementos. Com isso, tiveram um avanço significativo, porém, ainda é latente a existência da invisibilidade e competitividade entre mulheres. Nada que as faça desistirem de sua caminhada nessa cultura, que completou 45 anos no mês de novembro, e vem cada vez mais quebrando paradigmas, mostrando que o papel do hip-hop é de extrema importância para a periferia, escolas, juventude e sociedade como um todo.

O evento tem como um dos realizadores o Coletivo de Mulheres no Hip-Hop Ocupaminart, tendo como coordenadoras e fundadoras Cléia Alves e Cida Aripória. Segundo Cléia Alves, que integra também o Grupo de Rap Feminino Mulheres In Rima, o coletivo nasceu da necessidade de estimular o empoderamento e fortalecimento feminino nas produções artísticas de Manaus, principalmente no hip-hop, nas artes cênicas, audiovisual, nos movimentos de cultura popular e na política, com intuito de combater o machismo, racismo, preconceito e violência, pensando ainda mais na valorização e respeito da luta das mulheres no Brasil. "O coletivo vem promovendo saraus, oficinas, palestras, vivências, exposição de artes, moda, graffite e roda de conversas" disse.

O Ocupaminart esteve na construção da Marcha das Mulheres Manaus em 2017 e, em 2018, também já realizou em parceria com a Frente Hip-Hop Amazonas e Secretaria de Estado de Cultura do Amazonas em fevereiro de este ano, o I Fórum Regional da Frente Nacional de Mulheres no Hip-Hop Manaus/AM, onde esteve presente a convidada Lunna Rabetti, presidente nacional, oportunizando o diálogo com as mulheres de Manaus sobre a importância desse evento na cidade. 

O coletivo tem como objetivo realizar essas ações também no interior do Amazonas e em maio de 2018 esteve no município do Careiro da Várzea e agora estará em Parintins, na 1ª Batalha de Mulheres.

"Quando estive em Recife no mês de setembro, na 6ª edição do Fórum Nacional de Mulheres no Hip-Hop, promovido pela FNMH2, a qual sou membra desta organização nacional representando o meu Amazonas, pude ver que eventos como esse é de extrema importância, é de uma grandiosidade absurda, pois temos contatos e fazemos intercâmbios com mulheres de todos os lugares, é entender que o Hip-Hop Feminino do Norte e do Brasil estão de fato fazendo um grande trabalho de empoderamento de mulheres, encorajando-as a serem elas mesmas e seguirem firmes naquilo que desenvolvem seja no rap , no break, no graffiti, no Djing, nas batalhas de rimas e no conhecimento", ressaltou Cida Aripória.





Serviço

“A Força do Hip Hop Feminino do Norte”, em Parintins
Data/hora: 15 de dezembro, às 9h e às 17h, 16 de dezembro, a partir das 18h
Local: Dia 15 – Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro/ Dia 16 – Praça dos Bois
Entrada: Gratuita

Nas melhoras baladas