FOLHA DE PARINTINS Jornalismo Livre, Presente e Atuante

nailha
25/02/2019 às 21:19 h

Galo é sucesso e foliões anseiam por segunda edição

Circuito do Galo de Parintins em 2020 já tem data e local. Coordenadores fazem mistério


Parintins (AM) – “Isso é Carnaval! É disso que o povo parintinense gosta”. A afirmação é da foliã Odinéa Andrade, 76, ao mostrar que idade não é problema para cair na folia e se divertir no circuito promovido pela banda do Galo. O Galo Parintins ciscou terras Tupinambaranas pela primeira vez  neste domingo magro de carnaval, 24/02, na avenida Amazonas e veio para ficar. O sucesso foi tão grande que a coordenação já pensa na programação do próximo ano. “O evento foi fantástico. O parintinense sabe se divertir. Foi uma resposta excepcional a primeira edição do galo e já temos local e data para 2020”, confirma o Jornalista Keynes Breves idealizador da programação na terra de Caprichoso e Garantido. 

Se Odinéa Andrade de 76 anos brincou como uma adolescente atrás do Trio do Galo, a jovem Ingrid Barbosa Souza, 20, não dispensou energia e se divertiu a noite inteira.  O promoter Erick Sinderval se disse emocionado ao acompanhar a resposta do público que saiu da concentração do Galo da Frente da Catedral de Nossa Senhora do Carmo e seguiu até a Conveniência Pare e Compre onde a festa invadiu a noite. “O galo deixou sua marca veio pra ficar. Estou emocionado, é um dia histórico para Parintins”, comemorou.  

Conhecido como o eterno Pajé do Boi Caprichoso, Waldir Santana, não poupou elogios ao circuito que na opinião dele resgata a essência do carnaval de Rua de Parintins. “A gente está resgatando uma tradição dos grandes carnavais de rua. Que ideia maravilhosa de trazer o galo para Parintins”, assinalou.


O empresário Fausto Martins também comemorou a chegada do Galo na Ilha. “Estava ansioso e na expectativa. Foi um sucesso e uma inovação boa para o Carnaval” assegurou. A Funcionária Pública Daízes Pimentel ressaltou que além de uma opção de diversão e alegria o Galo movimenta a economia do município. “O Galo é uma forma de movimentar a economia além de opção de diversão ele também faz com que as pessoas consumam e os vendedores possam também trabalhar e ganhar um dinheiro nesse período”, comenta. 

A aposentada Nazaré Leitão, 69, não é de ficar em casa e foi pra rua atrás do Galo. “ Foi um dia maravilhoso foi bom demais, não tinha nada hoje só o galo para animar”, comemora.

Nas melhoras baladas