FOLHA DE PARINTINS Jornalismo Livre, Presente e Atuante

tablado
17/05/2019 às 19:49 h

Street art parintinense ganha exposição em Manaus

Primeira exposição dos artistas Alziney Pereira e Kemerson Freitas será aberta na próxima quinta-feira

Fotos: Reprodução.
Fotos: Reprodução.

O mundo ribeirinho de cores amazônicas com um tom onírico. Assim é definida a poética visual que o Curuminz – duo formado pelos artistas parintinenses Alziney Pereira e Kemerson Freitas – apresenta em sua primeira exposição, que será aberta em Manaus.

Intitulada “Conterrâneo”, a exposição é uma coletânea da street art que vem quebrando paradigmas históricos sobre o grafite em Parintins e conquistando admiração, antes monopolizada pelo festival folclórico dos bois Caprichoso e Garantido.

Mesclando pop art e surrealismo, com referências de Eduardo Kobra e Os Gêmeos, o Curuminz encheu os olhos dos conterrâneos com “As Flores Amazônicas” – o maior e mais popular mural de Parintins, de sua autoria.

A exposição “Conterrâneo”, do Curuminz, estará na Galeria do Largo (Rua Costa Azevedo, 290 – Centro) na próxima quinta-feira (23), com visitação de terça a domingo, de 15 às 21 horas. A entrada é franca.


Curuminz – O potencial artístico do Curuminz rompe os limites das telas de pintura desde 2016, ainda no curso de Licenciatura em Artes Visuais, da Universidade Federal do Amazonas – Campus Parintins. Aprimorados pela vivência prática da arte urbana, Alziney Pereira e Kemerson Freitas ousam pela riqueza artística dos murais, repletos de cotidiano amazônico, em paragens antes cinzentas e opacas do município.

O imensurável valor artístico do trabalho do Curuminz ainda enfrenta duras batalhas em Parintins. Com apenas uma galeria de desenho e pintura em tela – o Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro –, a street art de Alziney e Kemerson revela a necessidade do investimento nesse quesito, o que também combate o vandalismo oriundo de pichação (pintura sem expressão artística). A diferença entre a pichação e o grafite (street art) é de importante compreensão para a aproximação deste universo a todos.

O trabalho realizado pelo Curuminz é amparado pelo o artigo 65 da Lei Constitucional 9605/98, parágrafo 2. "Não constitui crime a prática de grafite realizada com o objetivo de valorizar o patrimônio público ou privado mediante manifestação artística, desde que consentida pelo proprietário e, quando couber, pelo locatário ou arrendatário do bem privado e, no caso de bem público, com a autorização do órgão competente e a observância das posturas municipais e das normas editadas pelos órgãos governamentais responsáveis pela preservação e conservação do patrimônio histórico e artístico nacional" (incluído pela Lei nº 12.408, de 2011).

Nas melhoras baladas