FOLHA DE PARINTINS Jornalismo Livre, Presente e Atuante

arena
03/08/2019 às 19:17 h

Manaus é finalista do Brasileirão na Série D

Foto: Roger Matos/Folha de Parintins
Foto: Roger Matos/Folha de Parintins

Publicada em 03/08/2019, às 19h17 - Atualizada em 04/08/2019, às 17h40*

O Manaus Futebol Clube segue fazendo história no Campeonato Brasileiro da Série D. Jogando na tarde deste sábado (3), na Arena da Amazônia, o Gavião do Norte fez um único gol sobre a Jacuipense-BA e alcançou a final da competição.

O gol marcado pelo centroavante Hamilton, em cobrança de pênalti, levou a equipe amazonense à inédita oportunidade de conquistar o Campeonato Brasileiro. Com vaga assegurada na Série C de 2020, o Manaus aguarda o adversário, que virá do confronto entre Ituano e Brusque. A vantagem é do time paulista, que venceu o jogo de ida.

O jogo - Após derrotar por 1 a 0 o Jacuipense – BA, na tarde de sábado (3/8) no jogo de volta, o Manaus FC garantiu o passaporte para a final do Campeonato Brasileiro Série D. No jogo de ida, a equipe havia empatado em 1 a 1 com o time baiano. A partida, que contou com o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esportes e Lazer (Sejel), foi realizada na Arena da Amazônia Vivaldo Lima, sob o olhar atento de mais de 15 mil torcedores.

“O futebol amazonense vem mostrando sua força a cada dia que passa e a população, por sua vez, tem comparecido aos jogos e dado apoio aos times do Amazonas. Precisamos disso, dessa torcida, do amor pelo futebol e juntos seremos cada vez mais fortes”, destacou Caio André de Oliveira, secretário da Sejel.

O primeiro tempo foi bastante equilibrado, com busca de espaço por ambas as equipes. Ainda assim, o Gavião do Norte estava focado na vitória e garantiu, com Rossini, a maior movimentação do time em campo, com direito ainda à expulsão do volante baiano, Nilson, aos 34 minutos do primeiro tempo. Melhor para o Manaus, que foi para cima do Jacuipense no segundo período e conseguiu imprimir seu ritmo de jogo. Após falha da defesa baiana, Tiago Lima, que estava de braços abertos, tocou a bola com a mão e o árbitro marcou penalidade máxima. Com segurança, Hamilton chutou e balançou a rede adversária, marcando o único gol da partida. O resultado foi a vitória amazonense e o passaporte para a final da Série D do Brasileirão.

Feliz com a atuação da equipe amazonense, o técnico do Manaus, Welington Fajardo, falou da atuação do grupo e dos próximos passos. “Acredito que a partida foi bem disputada. A equipe se manteve focada, respondeu bem ao trabalho que está sendo feito e isso é algo que mostra a qualidade do grupo. Alguns ajustes deverão ser feitos e o trabalho continua. Garantimos o acesso à Série C em 2020 e chegamos à final da competição, então vamos nos preparar para o que vier”, afirmou.

Quem também se mostrou confiante foi o volante e capitão da equipe, Derlan. “Não vamos deixar a desejar. Essa é a nossa casa e aqui, quem manda somos nós. Vamos focar para fazer dois excelentes jogos e trazer o título para o Amazonas. Pode ser fora ou dentro de casa, mas mostraremos a nossa força e daremos orgulho ao torcedor amazonense”, ressaltou.

Série C – Vale lembrar que no último dia 22 de julho, o Manaus FC garantiu o tão sonhado acesso à Série C do Brasileirão, ao vencer o Caxias por 3 a 0, na Arena da Amazônia, sob os aplausos de 44.121 torcedores.

Espírito esportivo - O lateral esquerdo do Jacuipense, Caique Barros, falou sobre o acesso da equipe baiana e contou para quem vai a torcida pelo título. “Infelizmente saímos sem a vitória para a final da competição, mas o objetivo foi concluído, conseguimos o acesso para a Série C. O time jogou com força e vontade de vencer, mas não foi dessa vez. Agora fico na torcida pela vitória do Manaus para conseguir o título porque os caras merecem”, concluiu.

Adversário - O adversário do Manaus na final da Série D do Brasileirão será o Brusque-SC, que superou o Ituano-SP por 4 a 3, nos pênaltis. Confira a matéria completa.

* Com informações da Secretaria de Estado de Comunicação Social - Secom e fotos de Mauro Neto e Lorena Furtado/Sejel.

Nas melhoras baladas