FOLHA DE PARINTINS Jornalismo Livre, Presente e Atuante

arena
11/08/2019 às 19:20 h

Manaus arranca empate e decide título em casa

Brusque faz 2 a 0 mas Gavião do Norte busca o empate e título da Série D será decidido na Arena da Amazônia

Foto: Janaílton Falcão/MAOBEE.
Foto: Janaílton Falcão/MAOBEE.

O Brusque abriu dois gols de vantagem, mas o Manaus não se deu por vencido, buscou o empate e deixou a decisão da Série D aberta para o segundo jogo, no dia 18 de agosto, na Arena da Amazônia, na capital amazonense. O jogo deste domingo ocorreu no Augusto Bauer, em Brusque, Santa Catarina. Os gols do Bruscão foram de Pirambu e Zé Mateus, enquanto Rossini, duas vezes, deixou tudo igual. Todos os gols foram no segundo tempo, assim como a expulsão de Romarinho.

O empate é favorável ao Manaus, que agora só precisa de uma vitória simples na Arena da Amazônia, no jogo de volta, para ficar com o título. O Bruscão precisa do mesmo resultado. Novo empate, independentemente do placar, leva a decisão para os pênaltis.

Primeiro tempo - Welington Fajardo e Waguinho Dias surpreenderam já na escalação. Enquanto o técnico do Manaus entrou com Vandinho em vez de Diogo Dolem, deixando o time teoricamente mais marcador, Dias optou por uma equipe superofensiva, com apenas um volante de marcação. Assim, o Manaus imprimiu uma marcação pressão nos primeiros minutos, dificultando a saída do time da casa. Com o jogo equilibrado e truncado, principalmente no meio de campo, o primeiro chute só veio aos 13 minutos, mas sem nenhum perigo.

Zé Mateus arriscou de muito longe e não assustou Jonathan. A falta de qualidade persistiu até o apito parcial, com muita enrolação e cera dos visitantes, tanto que as melhores chances do primeiro tempo foi a partir dos 30 minutos. Aos 33, Alagoano saiu cara a cara com Jonathan, mas mandou por cima. Pirambu, aos 36, também teve sua chance e isolou. O Gaviáo só chegou aos 50, com Rossini, em arremate da entrada da área.

Segundo tempo - Se o primeiro tempo foi devagar quase parando, a segunda etapa foi o oposto. O Bruscão voltou completamente ofensivo e conseguiu abrir o placar logo aos três minutos. Romarinho mandou uma bomba de fora da área, de perna esquerda, e Jonathan deu rebote. Pirambu, no segundo rebote do arqueiro, empurrou para o gol vazio. O Gavião sentiu o baque e levou o segundo três minutos depois. Igor tocou errado na sída de bola, Zé Mateus recuperou, avançou com a posse e mandou de fora para ampliar.

O Gavião, que era inferior, diminuiu aos 17, com Rossini. Derlan cruzou na medida para o camisa 10, que subiu livre para escorar para o fundo das redes. Aos 21, o próprio Derlan quase empatou, em pancada de fora da área. Aos 31, após confusáo generalizada, sobrou um cartão vermelho para Romarinho. O Brusque, portanto, jogou 20 minutos com um a menos. Mas nem precisou de tanto. Com um a mais, Fajardo sacou Vandinho para colocar Vitinho. Dois minutos dpeois veio o empate, em jogada semelhante com o primeiro gol. Só que dessa vez foi Igor que cruzou na medida para Rossini empatar e dar números finais ao jogo.


Tabu - O Brusque, até a partida contra o Manaus, tinha sete jogos e sete vitórias em casa, com 100% de aproveitamento. Foram 21 gols marcados e apenas três sofridos neste período. Mas, assim como já havia feito contra o Jacuipense-BA, nas semifinais, o Gavião acabou com o aproveitamento de mais um time que vinha perfeito.


Reprodução Globo Esporte Amazonas

Nas melhoras baladas