FOLHA DE PARINTINS Jornalismo Livre, Presente e Atuante

tablado
23/08/2019 às 22:15 h

Bois de Manaus iniciam disputa do Festival neste sábado

Foto: Michael Dantas/SEC.
Foto: Michael Dantas/SEC.

O 63º Festival Folclórico do Amazonas – Categoria Ouro – inicia neste sábado (24/08), às 19h, no Centro de Convenções Professor Gilberto Mestrinho – Sambódromo de Manaus. O evento, promovido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), vai até o dia 31 de agosto e tem entrada gratuita. Além das apresentações, o Festival terá barracas de comidas típicas localizadas nos blocos H e D do Sambódromo. Próximo a estes blocos, na área externa, também estará disponível um playground para crianças.

O primeiro dia contará com apresentações das modalidades de garrote regional (Estrelinha) e ciranda (Sensação da Raiz e Maravilha) – além dos bois da modalidade Bumbá Master A (Galante, Corre Campo e Garanhão).

Campeão da categoria Master B em 2018, o Boi-Bumbá Galante de Manaus defende neste ano o tema “Aiwri Cawa – O Espírito do Gavião”, sobre a história do índio Ajuricaba, que liderava a nação indígena dos Manaós e batalhou contra a invasão portuguesa. “Viemos com este tema para homenagear o povo manauara e os 350 anos da cidade de Manaus. Ajuricaba representa um povo batalhador, guerreiro, que apesar das adversidades, resiste, e ainda é o grande guardião das florestas. Ainda teremos a lenda do pirarucu e o ritual sobre o menino da aldeia que se torna pajé. Vai ser bem legal e esperamos conquistar o público”, destaca o presidente do Galante, Gilson Nascimento.

Campeão do Master A em 2018, o Boi-Bumbá Corre Campo defende o tema “Manaus, Manaó, 350 anos”, uma homenagem a capital do Amazonas. “Viemos homenagear Manaus ao dizer que, mesmo após esses 350 anos, o território em que vivemos ainda pertence aos índios manaó e todos nós somos herdeiros deles. Em nossa apresentação vamos fazer uma viagem pela história de Manaus, passando pela chegada dos europeus, o confronto com os índios, a morte de Ajuricaba, até chegar à Belle Époque. Também vamos mostrar o quanto a brincadeira de boi representa a cidade de Manaus”, afirma o diretor de arena e da comissão artística do Boi Garanhão, Leon Medeiros.

Último a se apresentar, o Boi Garanhão, atual vice-campeão da modalidade Master A, traz o tema “Garanhão, um boi de raiz e tradições”. De acordo o diretor de arena Wallace Almeida, o Boi-Bumbá do Educandos vai contar o processo de criação do folclore local, aliado às tradições do bairro. “O bairro do Educandos é um celeiro do folclore amazonense, de onde surgiu o Boi Garanhão e diversas outras danças e manifestações, então vamos contar como isso aconteceu. Além disso, teremos a lenda do boto, o ritual da tucandeira e uma homenagem Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, padroeira do Educandos. Estamos ensaiando desde março com afinco para que possamos ter sucesso nesse Festival”, declara.

Cada agremiação deve cumprir em até 1h50min sua apresentação, que será submetida à avaliação de jurados.

Nas melhoras baladas